quarta-feira, 20 de setembro de 2006

no meu tempo é que era #2

"Nos anos 80 não era assim. Quando um adolescente e uma adolescente se encantavam um com o outro (ele sentado em cima de moto própria, capacete na mão e calça rasgada um pouco acima do joelho direito, ela de popa ao vento, blusão de ganga da Uniform e collant em tons de roxo), o máximo que ele poderia esperar era reencontrá-la no dia seguinte, mesmo sítio, mesma hora(...)Hoje já ninguém se esforça para nada.
Abaixo os telemóveis, pá. Só andam cá a tornar-nos a vida mais baça. Sem brilho nem sonho" (ler mais...).

Adoro o imaginário classe média/média alta.

1 comentários:

dinis disse...

ainda te metes em trabalhos.